Indústria 4.0 como estratégia de inovação

Autores

  • Jaqueline Puntel dos Santos Universidade Católica de Brasília (UCB)
  • Serje Schmidt
  • Mary Sandra guerra Asthon

Resumo

No cenário atual, a mudança nos processos produtivos vem fundindo uma revolução Industrial em constante velocidade e amplitude. Nova tecnologias vem surgi ndo e gerandooportunidades de transformação nos cenários produtivos tradicionais e consequentemente movimentando a cadeia de Valor.
Ao falarmos desta revolução, estamos nos referindo a Indústria 4.0. Baseado em revisão da literatura, o conceito de indústria 4.0 pode ser definido como um termo coletivo para tecnologias e conceitos de uma cadeia de valor organizacional. (HERMANN et al, 2015). O Coletivo de tecnologias é copreendido como Machine Learning, Big Data, Blockchain, analytics, Internet das Coisas.
Fazendo um reflexão as revoluções industriais anteriores, é importante lembrarmos que a primeira Revolução Industrial (1780) durou quase 200 anos e revelou os motores a vapor inicialmente utilizados na produção de tecidos. A segunda Revolução Industrial iniciou 100 anos depois e ficou fortemente marcada pelo processo de linha de produção contínua. Já a terceira Revolução Industrial no final da década de 1960, ficou conhecida por revelar o
primeiro controlador lógico programável que permitiu a programação digital de sistemas de automação. Essa programação, até os dias de hoje deixa altamente flexível e eficiente o processo Industrial. (DRATH & HORCH, 2014). Por fim, em 2011, na Alemanha, o termo “Indústria 4.0” (tradução de Industrie 4.0)
foi apresentado, referindo-se ao que seria a Quarta Revolução Industrial. (DRATH &
HORCH, 2014).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACATECH POSITION PAPER. Recommendations for implementing the strategic

initiative industrie 4.0. Acatech—National Academy of Science and Engineering, 2013.

CASTELLS, Manuel: A sociedade em rede. Tradução Roneide Venancio majer; atualização

para a 6ª edição: Jussara Simões. (A era da informação: economia, sociedade e cultura; v.1) São

Paulo: paz e Terra, 1999.

DRATH, R.; HORCH, A. Industrie 4.0: Hit or hype? IEEE industrial electronics magazine,

v. 8, n. 2, p. 56–58, 2014.

GONÇALVES , J. E. L. (1998). A necessidade de reinventar as empresas. Revista de

Administração de Empresas, 38(2), 6–17.

OLIFF, H., & Liu, Y. (2017). Towards Industry 4.0 Utilizing Data-Mining Techniques: A

Case Study on Quality Improvement. Procedia CIRP, 63, 167–172

PRODANOV, Cleber Cristiano. FREITAS, Ernani Cesar de: Metodologia do trabalho

científico 2. ed. – Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

POSADA, J; TORO, C; BARANDIARAN, I; OYARZUN, D; STRICKER, D; de AMICIS, R;

PINTO, E.B.; EISERT, P.; DOLLNER, J.; VALLARINO, I. Visual Computing as a Key

Enabling Technology for Industrie 4.0 and Industrial Internet. Computer Graphics and

Applications, IEEE., 2015. p. 26-40.

SHAMIM, S., Cang, S., Yu, H., & Li, Y. (2016). Management approaches for Industry 4.0:

A human resource management perspective. 2016 IEEE Congress on Evolutionary

Computation (CEC), 5309–5316.

SILVA, R. M. dá; SANTOS FILHO, D. J.; MIYAGI, P. E. Modelagem de Sistema de

Controle da Indústria 4.0 Baseada em Holon, Agente, Rede de Petri e Arquitetura

Orientada a Serviços. In: XII Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente. Natal, 2015.

VENANCIO A.L.A.C & BREZINSKI G.L (2017). Sistema De Avaliação De Maturidade

Industrial.

Downloads

Publicado

2020-01-10

Como Citar

Santos, J. P. dos, Schmidt, S., & Asthon, M. S. guerra. (2020). Indústria 4.0 como estratégia de inovação. Anais Do Interprogramas Secomunica, 3. Recuperado de https://portalrevistas.ucb.br/index.php/AIS/article/view/11432

Edição

Seção

Artigos