AÇÕES E ESTRATÉGIAS PARA O ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA NO SETOR DO ARTESANATO NO RIO GRANDE DO SUL

Sandra Andréa da Costa, Cristiano Max Pereira Pinheiro, Vanessa Amália Dalpizol Valiati, Mauricio Barth, Mary Sandra Guerra Ashton

Resumo


A pandemia causada pela Covid-19 abalou o mundo e trouxe transformações significativas nas formas de se comunicar, de trabalhar e de consumir. Adaptações foram necessárias nos mais diferentes setores da economia, sendo que na Indústria Criativa não foi diferente. Por iniciativa do Mestrado de Indústria Criativa da Universidade Feevale, foi desenvolvida a pesquisa “Covid-19 e os Impactos na Indústria Criativa do Rio Grande do Sul” que tem por objetivo identificar o perfil de atuação de profissionais, os processos criativos e impacto da COVID-19 no consumo em plataformas digitais. Desta forma destacam-se dois eixos: a produção nos setores criativos e o consumo em plataformas digitais. Este artigo destina-se a apresentar um recorte desta pesquisa e traz os resultados pertinentes ao artesanato tendo como objetivo o entendimento e compreensão do cenário neste setor, de que forma está sendo afetado, bem como quais as atitudes e ações de enfrentamento estão sendo utilizadas. Para tanto, utilizou-se de pesquisa exploratória descritiva, por meio de revisão de literatura e aplicação de questionário via Google Forms, que ficou disponível entre 30 de junho e 04 de setembro de 2020 e contou com 45 participantes. O artigo também traz um panorama com algumas ações propostas pelo Programa Gaúcho do Artesanato (PGA) para o enfrentamento da crise. As informações coletadas demonstram grande relevância para o setor no sentido de contribuir na busca de soluções neste cenário de grandes incertezas.

Texto completo:

PDF

Referências


BETJEMANN, Peter. Craft and the limits of skill: handicrafts revivalism and the problem of technique. Journal of Design History, 2018. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/25228581?seq=1

BORGES, Adélia. Design + artesanato: o caminho brasileiro. São Paulo: Terceiro Nome, 2011.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectivas, 2007.

BRASIL. Portaria nº 29 de 05 de outubro de 2010. Tornar pública a base conceitual do artesanato brasileiro, na forma de anexo. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 192, p. 100 a 102. 06 de outubro de 2010. Seção 1.

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA. Economia Criativa emprega mais do que setores tradicionais da produção gaúcha, aponta pesquisa. Disponível em: https://dee.rs.gov.br/economia-criativa-emprega-mais-do-que-setores-tradicionais-da-producao-gaucha-aponta-pesquisa Acesso em: 16 de novembro de 2020.

INVESTRS. Indústria Criativa. Disponível em https://investrs.com.br/industria-criativa. Acesso em: 10 de novembro de 2020.

FIRJAN. Mapeamento da Indústria Criativa no Brasil. (PDF) Disponível em: https://www.firjan.com.br/EconomiaCriativa/downloads/MapeamentoIndustriaCriativa.pdf. Acesso em: 04 de junho de 2020.

GUICHON, Nara. A Importância do Artesanato para uma sociedade mais justa. Florianópolis: Wordpress, 2019. Disponível em: https://naraguichontextil.wordpress.com/2019/05/23/a-importancia-do-artesanato-para-uma-sociedade-mais-justa/

HOWKINS, John. Economia Criativa: Como ganhar dinheiro com ideias criativas. São Paulo: M.Books do Brasil, 2013.

LITTRELL, Mary. Symbolic significance of textile crafts for tourists. Annals of Tourism Research. v. 17, n. 1, p. 228-245, 1990.

MIRANDA, Antônio Carlos, LIRIO, Viviani Silva, SOUZA Sidney Cabral de. Condicionantes da competitividade da cadeia produtiva do artesanato no município de Aimorés. Minas Gerais. Organizações e Sociedade, 2007. PAB. Base Conceitual do Artesanato Brasileiro. Disponível em: https://manosdeartesano.files.wordpress.com/2013/06/base-conceptual-del-artesano-brasileiro.pdf. Acesso em 16 de maio de 2019.

MESTRADO PROFISSIONAL

INOVAÇÃO EM COMUNICAÇÃO E ECONOMIA CRIATIVA (PPGCOM/UCB)

V COLÓQUIO INTERPROGRAMAS SECOMUNICA 2020

de novembro de 2020, Brasília, Distrito Federal

REIS, Ana Carla Fonseca . Economia criativa como estratégia de desenvolvimento: uma visão dos países em desenvolvimento. São Paulo: Itaú Cultural, 2008.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Termo de referência: atuação do Sistema SEBRAE no artesanato. Brasília: SEBRAE, 2010.SEBRAE. (PDF) Comércio e Serviços. Disponível em: file:///C:/Users/drinh/OneDrive/Documentos/Artesanato/Artesanato%20sebrae.pdf Acesso em: 06 de maio de 2019.

VERARDO, Rejane Beatriz. Com a pandemia, situação dos artesãos gaúchos está no limite. Porto Alegre, Brasil de Fato, 2020. Disponível em: https://www.brasildefators.com.br/2020/05/18/com-a-pandemia-situacao-dos-artesaos-gauchos-esta-no-limite


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2526-382x