VERIFICAÇÃO DE UM MODELO TEÓRICO ENTRE BEM-ESTAR SUBJETIVO E AUTOESTIMA EM IDOSOS BRASILEIROS

Maria Christina Soares Gomes, Thatiana Maia Tolentino, Maria de Fatima de Matos Maia, Nilton Soares Formiga, Gislane Ferreira de Melo

Resumo


O objetivo desse estudo foi verificar a relação entre Bem-Estar Subjetivo e Autoestima em idosos. A amostra foi composta por 219 idosos de 60 a 82 anos de idade residentes no norte de Minas Gerais - Brasil. A análise fatorial confirmatória corroborou a estrutura psicométrica das dimensões propostas por Kozma e Stones1 para a escala de bem-estar (MUNSH) e por Rosenberg2 para a autoestima. Observaram-se indicadores estatísticos que garantiram o modelo explicativo entre as variáveis: modelo 1 - o bem-estar positivo associou-se, positivamente, com a autoestima positiva e, negativamente, com autoestima negativa; modelo 2 – observou-se uma associação positiva do bem-estar negativo, com a autoestima negativa e, negativamente, com a autoestima positiva. Foi possível verificar por meio de um modelo sistêmico a relação do bem-estar subjetivo com a autoestima que visa identificar a satisfação que o indivíduo tem sobre a vida, social e individual na perspectiva de contribuir para um desenvolvimento de uma autoestima positiva. Conclui-se que é de suma importância refletir sobre questões ligadas à saúde dos idosos principalmente em relação ao melhor desenvolvimento e foco no bem-estar com objetivos que favoreçam uma construção melhor da autoestima, percebido que a melhoria do BES positivo inibe a possibilidade de uma autoestima negativa, ou seja, dissolve a imagem negativa sobre si.

Palavras-chave


Idoso; Bem-estar subjetivo; Autoestima; Modelo teórico

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v24i2.5261

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement