RATOS DE ACADEMIA ON-LINE: DEBATES SOBRE MUSCULAÇÃO EM UM FÓRUM VIRTUAL

Eduardo Pinto Machado, Alex Branco Fraga

Resumo


“Rato de academia” é o termo com o qual se autodenominam os sujeitos viciados em exercícios físicos e preocupados em demasia com a busca da potencialização da musculatura corporal a qualquer custo. No intuito de atingir um alto nível de hipertrofia muscular, estes sujeitos pesquisam, trocam informações e debatem via internet sobre questões acerca da musculação, como, por exemplo, no fórum virtual Mundo Anabólico. O objetivo central do estudo consistiu em compreender como ocorrem as relações sociais no fórum virtual Mundo Anabólico, principalmente no que tange à utilização de esteroides anabolizantes na busca de um aprimoramento corporal pela via medicamentosa. O marco teórico-conceitual que subsidiou a movimentação analítica se baseou nas teorizações sobre enhancement corporal de Nikolas Rose, sobretudo nos estudos deste autor sobre a política da própria vida. A metodologia utilizada foi a netnografia, que consiste na realização de um estudo cultural através da imersão profunda em um grupo. Entretanto, diferentemente da etnografia, na netnografia a imersão ocorre a partir do ambiente virtual. Foi possível identificar que, no fórum, os participantes expressam seus sentimentos e buscam incentivo mútuo no treinamento, mostrando a existência de fortes laços sociais entre eles. O fórum Mundo Anabólico é um ambiente virtual muito organizado, contendo temas distribuídos em tópicos, de acordo com o interesse dos usuários, e com regras de postagem próprias. Além disso, identificamos que a utilização de esteroides anabolizantes é uma temática central que perpassa as diferentes discussões constantes no fórum virtual. Esses participantes não só postam as dúvidas como também dividem o mesmo objetivo: o anabolismo a qualquer custo, mesmo que esse corpo hipermusculoso dure apenas até o fim do verão.
Palavras-chave: Anabolizantes, Internet, etnografia.

Palavras-chave


Anabolizantes; Internet; etnografia;

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v25i1.7440

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement