Taxa de intercâmbio e integração de redes no mercado brasileiro de cartões de crédito: uma discussão teórica

Autores

Resumo

Este artigo discute a estrutura do mercado brasileiro de cartões de pagamento após introdução de interoperabilidade de rede e fim dos contratos de exclusividade entre empresa de cartão e agente credenciador. Para tanto, apresenta a estrutura de um mercado de cartões de pagamento como um mercado de dois lados, em que relações entre comerciantes e seus bancos tem efeitos sobre as relações entre portadores de cartões e seus bancos, e vice-versa, identificando seus principais atores e sua forma de atuação. Este trabalho também discute o papel da taxa de intercâmbio, o preço que une os dois lados do mercado, como fator de equilíbrio no mercado de cartões em diferentes estruturas de competição. Por fim, são analisadas as mudanças recentes implementadas no mercado brasileiro de cartões, demonstrando que a competição entre diferentes cartões tende a reduzir a taxa de intercâmbio e elevar o bem-estar social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Eduardo de Mello Oliveira, Caixa Econômica Federal

Mestre em Economia pela Universidade de Brasília.

Paulo Augusto Pettenuzzo de Britto, Universidade de Brasília

Professor de Economia, Finanças e Métodos Quantitativos do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade de Brasília (UnB). Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis - mestrado e doutorado. Professor do Programa de Mestrado em Economia do Setor Público. Pesquisador do Centro de Estudos em Regulação de Mercados - CERME. PhD em Economia pela University of Illinois at Urbana-Champaign.

Downloads

Publicado

2022-03-21

Edição

Seção

Artigos