A integralidade da assistência a pacientes com HIV em ambulatório especializado de Alagoas

Erika Thaynara Pereira Martins, Maria Carolina Santos Malafaia Ferreira, Jose Ayrton Macedo Guimarães de Oliveira, Vitorino Modesto dos Santos, André Falcão Pedrosa Costa

Resumo


Objetivo: na complexidade da relação entre saúde e doença, é incontestável o valor da integralidade na assistência. Portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV), por diversos fatores, podem apresentar alterações renais que influenciam diretamente no prognóstico. O objetivo é avaliar a busca do diagnóstico de acometimento renal, pelos profissionais que acompanham pacientes com HIV, como aspecto do cuidado integral. Métodos: análise retrospectiva de prontuários e coleta de exames de forma prospectiva incluindo 99 pacientes infectados pelo HIV, atendidos no ambulatório de HIV/Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (HIV/SIDA) de um hospital de moléstias infectocontagiosas. Trinta e um pacientes foram entrevistados e submetidos a coletas de amostras de urina para avaliação de microalbuminúria. A filtração glomerular foi estimada com a fórmula de modified diet in renal disease (MDRD) simplificada. Resultados: do total de pacientes, 58 (58,58%) eram homens e 41 (41,41%) mulheres; 84 (84,84%) pardos, 10 (10,10%) negros e cinco (5,05%) brancos; com média etária de 41,02 ± 11,05 anos. Quanto ao esquema terapêutico, lamivudina (3TC), foi o fármaco mais utilizado (84,21%) pelos pacientes e 26 deles (21,37%) faziam uso da associação de 3TC, zidovudina e efavirenz. Percebeu-se claramente que a busca do diagnóstico de acometimento renal não foi significante. De um total de 95 pacientes, apenas 17 (17,89%) tinham no prontuário resultado de exame simples de urina. Dentre esses, dois (11,76%) apresentaram alteração na coloração, onze (64,70%) apresentaram alteração no aspecto, três (17,64%) apresentaram pH menor que 5,5, um apresentou pH maior que 7,0 (5,88%) e três (17,64%) apresentaram proteinúria de 1+. Sete (7,36%) tinham hipertensão arterial, cinco (5,2%) relataram queixas urinárias e três (3,15%) apresentaram edema. A média de microalbuminúria em amostra isolada foi de 2,12 ± 3,32 mg/dL e 12 pacientes (38,71%) apresentaram valores acima de 1,7 mg/dL. Conclusão: não se observou, na população estudada, a aplicação de cuidado integral na prática, mesmo em se tratando de pessoas particularmente sob o risco de nefropatia.


Texto completo:

PDF