A Análise da Taxa de Cesáreas no Distrito Federal e em um Hospital Público Regional nos últimos 15 anos

Isac César Roldão Leite, Rebeca Marques Margoto, Thatyane Costa Borges, Edgard Albernaz Xavier, Gabriela Petrocchi Corassa, Marta Alves de Freitas

Resumo


A busca por auxílio especializado para a condução do trabalho de parto é um processo natural e aconselhável no sistema de saúde brasileiro. Cabe ao obstetra avaliar e indicar a via de parto adequada. A escolha desta via tem sido assunto amplamente discutido devido a sua transferência para a gestante pelos mais diversos motivos. Como a taxa de cesarianas no Brasil subiu nos últimos anos, políticas públicas foram criadas para alcançar o índice proposto pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1985: entre 10% e 15%. Este trabalho analisa a eficácia dessas políticas. Foram utilizados dados epidemiológicos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde dos últimos 15 anos. Analisaram 44.698.298 partos no Brasil, 838.176 no Distrito Federal (DF) e 111.560 no hospital local. O serviço local alcançou a menor das taxas ? 31,8% de cesarianas. O DF alcançou 48,3%. A taxa brasileira foi de 46,8%. Todos os serviços ficaram acima do proposto pela OMS. Foi possível observar a inversão na taxa de partos, prevalecendo as cesarianas, desde 2009, no Brasil, e desde 2007 no DF. Ainda não houve inversão no hospital público analisado. Sugere-se revisão dos planos governamentais para redução das taxas e atualização da taxa proposta pela OMS para as características de saúde do século XXI.


Texto completo:

PDF