O macaco com a câmera na mão: montagem anarquívica e devir-animal em Leo Pyrata

Marcelo R. S. Ribeiro

Resumo


Este artigo discute os principais filmes de curta metragem dirigidos por Leo Pyrata, que exploram a figura do “macaco com a câmera na mão”, mencionada em Cuauhtémoc (2012), para insinuar o devir-animal como prática criativa. Em diálogo com linhagens do cinema experimental e da videoarte, Pyrata elabora modos de montagem anarquívica e reivindica o devir-macaco como fundamento de uma perturbação destrutiva e potencialmente inventiva de formas consolidadas de linguagem audiovisual.

Palavras-chave


cinema brasileiro contemporâneo; experimental; videoarte; montagem anarquívica; Leo Pyrata

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.31501/esf.v1i16.11065

DIADORIM  DOAJ  Latindex  LIVRE  Portal Capes

E-ISSN 2446-6190

REVISTA B2 (Qualis CAPES 2015)