Apenas uma morte: seguindo os rastros de Dulce Carneiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31501/esf.v0i22.13392

Resumo

Através de rastros, esse artigo deseja jogar luz
sobre a obra e a vida da fotógrafa paulista Dulce
Carneiro, que fez parte do grupo de mulheres
pioneiras na fotografia no Brasil. Com passagem
exitosa em vários nichos do mercado
fotográfico, ela se desencanta com a fotografia
no final da década de 90, dá fim ao seu acervo
profissional e se afasta da fotografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cecilia Conte Carboni, UNIP e FAM

Maria Cecília Conte Carboni é doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e mestre pelo programa de História Social da mesma universidade. Possui graduação em Comunicação Social (Jornalismo) pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, realizou projetos documentais em linguagem audiovisual, cinema e fotografia; atuou como repórter e redatora em veículos de comunicação e é roteirista. É docente nos cursos de Design , Fotografia e Comunicação Social e pesquisadora no ESPACC - PUC-SP/COS.

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

Carboni, M. C. C. (2021). Apenas uma morte: seguindo os rastros de Dulce Carneiro. Esferas, (22), 333-347. https://doi.org/10.31501/esf.v0i22.13392

Edição

Seção

Dossiê Fotografia, crises e contemporaneidade: olhares sobre existências