Autorias rasuradas em "Afrique 50": para uma economia política das assinaturas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31501/esf.v1i26.14249

Palavras-chave:

autoria, documentário, descolonização

Resumo

Considerando a política da autoria associada à história da luta anticolonial e às suas relações com o cinema francês, este artigo aborda o filme anticolonialista Afrique 50 (1950). Distinguindo entre o filme como produto e como processo, discuto o problema das autorias rasuradas no documentário associado à assinatura autoral de René Vautier.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo R. S. Ribeiro, Universidade Federal da Bahia

Professor de História e Teorias do Cinema e do Audiovisual, na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia, desde maio de 2017, coordena atualmente o grupo de pesquisa Arqueologia do Sensível (http://www.arqueologiadosensivel.ufba.br). Em 2019, publicou seu primeiro livro, Do inimaginável, pela Editora UFG, e tem estudado e pesquisado sobre temas como imagem, história e direitos humanos; cinemas africanos; história do cinema, arquivo e descolonização. É doutor em Arte e Cultura Visual pela Universidade Federal de Goiás (2016), mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (2008) e graduado em Ciências Sociais com Habilitação em Antropologia pela Universidade de Brasília (2005). Escreve o incinerrante (https://incinerrante.com), tendo atuado ainda como crítico de cinema, programador e curador de mostras e festivais.

Downloads

Publicado

2023-04-12

Como Citar

Ribeiro, M. R. S. (2023). Autorias rasuradas em "Afrique 50": para uma economia política das assinaturas. Esferas, 1(26), 243-268. https://doi.org/10.31501/esf.v1i26.14249

Edição

Seção

Autoria no Documentário