QUESTIONARIO MULTIDIMENSIONAL DE EXCELÊNCIA ESPORTIVA (MUSI): ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL E EVIDÊNCIAS PRELIMINARES DE VALIDADE

Autores

  • Mariana Santos Ceotto Universidade de Pernambuco UPE
  • Nathália Regina Rodrigues Rocha Santana Universidade Federal de Pernambuco UFPE
  • Evandro Morais Peixoto Universidade São Francisco USF http://orcid.org/0000-0003-1007-3433

Resumo

Esta pesquisa tem como principal objetivo a adaptação transcultural e avaliação das primeiras evidências de validade com base na estrutura interna e precisão da Escalas de Energia Mental (EEM), Escala de Atenção Difusa Interna (EAID) e Escala de Atenção Difusa Externa (EADE). Estes instrumentos fazem parte do Inventário Multidimensional de Excelência Esportiva (MUSI), uma bateria de medidas que avaliam diferentes habilidades psicológicas associadas ao desempenho esportivo. A amostra foi composta por 144 praticantes de diferentes modalidade esportivas e níveis competitivos, com idades que variam 14 e 51 anos (25,16±7,43, 77,1% homens). Para adaptação dos instrumentos recorreu-se ao procedimento de back-translation. A adequação das adaptações foram verificadas por meio do Coeficientes de validade de conteúdo (CVC). Análise Paralela (AP), Analise Fatorial Exploratória (AFE) e indicadores de consistência interna foram empregados para avaliação da estrutura interna dos instrumentos. A análise de especialistas indicaram a relevância teórica, clareza, adequação da linguagem e pertinência prática dos itens que compunham as respectivas escalas. AP e AFE indicaram estrutura unidimensional para cada uma das três medidas independentes, corroborando as hipóteses teóricas que fundamentaram a construção dos instrumentos. Foram observados bons indicadores de precisão, coeficientes alfa de Cronbach e omega de McDonald iguais 0,864 (EEM), 0,839 e 0,842 (EAED) e 0,873 e 0,878 (EAID). Também form observadas correlação positiva significativa entre energia mental e atenção difusa externa, e entre energia mental e idade, e correlação negativa significativa entre atenção interna difusa e idade. Tais resultados indicam que com o passar da idade os atletas apresentam maior capacidade em manejar as informações externas para alcançar os objetivos no esporte, bem como serem menos afetados por sentimentos e pensamentos negativos durante a prática. Sugere-se a adequação dos instrumentos quanto a avaliação dos construtos alvos no contexto esportivo brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Santos Ceotto, Universidade de Pernambuco UPE

Departamento de Psicologia UPE

Nathália Regina Rodrigues Rocha Santana, Universidade Federal de Pernambuco UFPE

Programa de Pós-Graduação em Psicologia UFPE

Evandro Morais Peixoto, Universidade São Francisco USF

Docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade São Francisco USF

Downloads

Publicado

2024-02-06

Edição

Seção

Artigo Original