ANÁLISE DO COMPORTAMENTO SEDENTÁRIO DE ESCOLARES POR SEXO, TIPO DE ESCOLA E TURNO ESCOLAR

Isabella Toledo Caetano, Maicon Rodrigues Albuquerque, Fernanda Ribeiro Nascimento, Edmar Lacerda Mendes, Paulo Roberto dos Santos Amorim

Resumo


Objetivou-se analisar o comportamento sedentário de escolares com 10 anos de idade em suas atividades diárias por sexo, rede de ensino, turno escolar e nas janelas de tempo: manhã, tarde e noite. Participaram 101 crianças, de ambos os sexos. Utilizou-se o acelerômetro Actigraph (GT3X) durante três dias consecutivos para quantificar o comportamento sedentário em contagens/minuto. Utilizou-se teste Kolmogorov-Smirnov para testar a normalidade dos dados, o teste t de Student para comparar o comportamento sedentário entre sexos, rede de ensino e turno escolar e ANOVA medidas repetidas e post-hoc de Tukey diferenças entre as médias das contagens/minuto por turno nas três janelas de tempo. Calculou-se o tamanho do efeito por meio do “eta-squared (?2)”. Não houve diferença significativa na comparação do comportamento sedentário entre os sexos, rede de ensino e turno escolar em relação à contagem/minuto diária. Quando analisados os turnos separadamente, verificou-se diferença significativa entre as janelas de tempo do turno matutino X2(2)=26,42; p<0,001 e vespertino X2(2)=12,61; p<0,002 com um tamanho de efeito médio para ambos os tipos. Notou-se que tanto o turno matutino quanto o turno vespertino apresentam maior comportamento sedentário (p<0,05) no período da noite, seguidas pelo período da manhã e tarde Analisando o comportamento sedentário entre os turnos matutino e vespertino em cada uma das três janelas de tempo verificou-se que não houve diferenças significativas em nenhuma das três janelas de tempo [manhã (p=0,240), tarde (p=0,067) e noite (p=0,311)]. Conclui-se que as crianças são mais sedentárias na janela de tempo noturna.

Palavras-chave


Comportamento Sedentário; Criança; Escola; Sexo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18511/rbcm.v24i1.5757

R. Bras. Ci. e Mov./ Brazilian Journal of Science and Movement