Acerca da correspondência entre percepção visual e gustativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31501/esf.v0i15.10532

Resumo

Este artigo trata do paradoxo de como uma experiência visual pode interferir na do paladar e vice-versa, considerando a história moderna que estabeleceu a arte ou a estética em sentido mais amplo como categorias a serem sentidas de modo privilegiado pelo aparado da visão e da audição. Embora haja uma crescente proliferação de imagens visuais, a gastronomia e gosto exercem um papel eminente neste processo. Considerando isto, uma imagem visual não é única e pode adotar diversas formas: uma série de sinais escritos é uma imagem visual tão legítima como uma fotografia, uma pintura e uma linha desenhada na areia. A partir de uma desconstrução da hierarquização dos sentidos ditos inferiores (olfato e paladar), observa-se as implicações das informações visuais em relação à experiência do paladar, bem como a relevância do paladar para a experiência gastronômica nivelada à percepção de uma arte estética determinada justamente pelo gosto, sem prescindir dos demais sentidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Lobão de Queiroz, Universidade de Brasília (UnB) Capes

Jornalista, professor e crítico de cinema e de gastronomia. Doutorando em Imagem, Estética e Cultura Contemporânea pela UnB. Em doutorado sanduíche pela Capes na Università degli Studi di Scienze Gastronomiche di Pollenzo (Itália).

Nicola Perullo, Università degli studi di scienze gastronomiche di Pollenzo

Filósofo e professor de Estética e diretor do programa de Doutoramento em Ecogastronomia, Formazione e Società da Università degli Studi di Scienze Gastronomiche di Pollenzo (Itália)

Downloads

Publicado

2019-11-21

Como Citar

Lobão de Queiroz, G., & Perullo, N. (2019). Acerca da correspondência entre percepção visual e gustativa. Esferas, (15), 132-142. https://doi.org/10.31501/esf.v0i15.10532

Edição

Seção

Dossiê Comunicação e Alimentação