Está aberta a chamada para o dossiê: COMUNICAÇÃO, GÊNEROS E SEXUALIDADES

2022-06-20

DOSSIÊ: COMUNICAÇÃO, GÊNEROS E SEXUALIDADES

O crescimento dos estudos feministas no Brasil permitiu a instauração de um campo analítico, epistemológico e político radicalmente novo e amplo para os estudos comunicacionais. Agrupados sob o compromisso de oferecer questionamentos efetivos aos modos de produção da desigualdade e suas formas de normatização dos corpos, das identidades e das sexualidades, os estudos de gênero oferecem condições empíricas e epistêmicas para, no contexto da pesquisa em comunicação, participarem desde a percepção dos fenômenos até a proposição teórica e metodológica. Desde os anos de 1970, a pesquisa em comunicação, orientada pela perspectiva de gênero, tem ganhado maturidade. A ampliação do campo de interesses permitiu um rico movimento em direção aos estudos das sexualidades e aos estudos queer que, numa perspectiva interdisciplinar, vêm agregando proposições relevantes aos estudos dos processos comunicacionais demarcados por questões de gênero, cada vez mais atravessadas também por outras avenidas identitárias, tais como raça, classe, territorialidade etc. Tanto que atualmente temos observado impactos significativos na forma de se pensar os fenômenos comunicacionais atrelados a geografias feministas e queer numa perspectiva interseccional. Tais impactos podem ser percebidos em diferentes contextos, tais como: a) a partir do crescimento no número de disciplinas implantadas em grades curriculares de cursos de graduação e pós-graduação da área, abordando tal conteúdo de maneira central ou tangencial; b) pelo desenvolvimento de projetos e grupos de pesquisa e extensão coordenados por pesquisadoras/es da área que se organizam em torno dos gêneros e das sexualidades em sua interface com a Comunicação, o que reflete um expressivo aumento das pesquisas, em torno dessas temáticas, em trabalhos de conclusão de curso, em dissertações de mestrado e em teses de doutorado; c) pela proposição e implantação de grupos de trabalho em congressos e encontros na área de comunicação e d) na proposição de dossiês específicos, em diversos periódicos da área de Comunicação, que evidenciam a pluralidade e a diversidade de pesquisas que, a partir de nosso lugar, lançam olhares sobre os gêneros e as sexualidades. É nesse contexto que firmamos a parceria entre a Revista Esferas (Revista Interprogramas de Pós-Graduação em Comunicação do Centro Oeste, que reúne os Programas de Pós-graduação em Comunicação da UCB, da UnB, da UFG, da UFMS e da UFMT) e o GT Comunicação, Gêneros e Sexualidades da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação, com a presente chamada. 

Convidamos autoras e autores, interessadas e interessados, a apresentar suas pesquisas que abordem: A apreensão dos estudos sobre os gêneros e as sexualidades em interlocução com o pensamento comunicacional, evidenciando os trânsitos, as tensões e as contribuições; Os aspectos epistemológicos, teóricos-conceituais e metodológicos;  As reflexões sobre gêneros e sexualidades nos produtos e nos processos comunicacionais em suas dimensões históricas, políticas, éticas, estéticas, culturais, subjetivas, identitárias, trans-identitárias, pós-identitárias, interseccionais, de mobilização social, de violências, dentre outros; Narrativas literárias, audiovisuais e performances midiáticas que rompem ou tencionam questões de gênero e sexualidade; As investigações sobre processos de visibilização e de invisibilização de corpos, de identidades e de sexualidades, em interface com marcadores étnico-raciais, geracionais e de classe, bem como os modos de resistência aos mesmos; As vulnerabilidades e precariedades, a partir dos marcadores sociais da diferença e da hierarquização entre as pessoas, tendo em vista as questões de gênero e de sexualidade; As disputas em torno das representações, e dos modos possíveis e interditados de representação, da comunidade LGBTQIA+, das feminilidades, das transfeminilidades, das masculinidades e das transmasculinidades. 

Editoras e Editores:

Clarissa Raquel Motter Dala Senta – Mestrado Profissional Inovação em Comunicação/Economia Criativa – Universidade Católica de Brasília. 

Fernanda Capibaribe Leite – Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco/Coordenação GT Comunicação, Gêneros e Sexualidades.

Felipe Viero Kolinski Machado Mendonça – Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Ouro Preto/ Coordenação GT Comunicação, Gêneros e Sexualidades.

Leandro Bessa de Oliveira - Mestrado Profissional Inovação em Comunicação/Economia Criativa – Universidade Católica de Brasília. 

CRONOGRAMA

Data prevista para publicação: 31 de agosto de 2023

Data inicial de submissão: 21 de junho de 2022

Data limite de submissão: 21 de dezembro de 2022

 

ESFERAS JOURNAL

DOSSIER: COMMUNICATION, GENDER AND SEXUALITY

 The growth of feminist studies in Brazil has allowed the establishment of a radically new and broad analytical, epistemological and political field for communication studies. Grouped under the commitment of offering effective questionings to the modes of production of inequality and its forms of normatization of bodies, identities and sexualities, gender studies offer empirical and epistemic conditions to, in the context of research in communication, elaborate questions from the perception of phenomena to the theoretical and methodological proposition. Since the 1970s, research in communication guided by the gender perspective, has gained maturity. The expansion of the field of interests has allowed a rich movement towards studies of sexualities and queer studies which, in an interdisciplinary perspective, have been adding relevant propositions to the studies of communication processes demarcated by gender issues, increasingly crossed also by other identity avenues, such as race, class, territoriality, etc. So much so that we have currently observed significant impacts in the way of thinking about communication phenomena linked to feminist and queer geographies from an intersectional perspective. Such impacts can be perceived in different contexts, such as a) from the growth in the number of disciplines implemented in curricula of undergraduate and graduate courses in the area, addressing such content in a central or tangential way; b) by the development of research and extension projects and groups coordinated by researchers in the area that are organized around gender and sexualities in their interface with Communication. That reflects an expressive increase of research, around these themes, in final graduation projects, in master's dissertations and in doctoral theses; c) by the proposition and implementation of working groups in congresses and meetings in the area of Communication and d) in the proposition of specific dossiers, in several periodicals in the area of Communication, which show the plurality and diversity of researches that, from our place, look at genders and sexualities. It is in this context that we have established the partnership between Esferas Journal (Interprograms Journal of Graduate Studies in Communication of the Midwest, which gathers the Graduate Programs in Communication of UCB, UnB, UFG, UFMS and UFMT) and the Communication, Gender and Sexuality WG of the National Association of Graduate Studies in Communication (COMPÓS), with the present call.

We invite interested authors to present their research that addresses: The apprehension of studies on genders and sexualities in interlocution with communicational thought, highlighting the transits, tensions and contributions; The epistemological, theoretical-conceptual and methodological aspects;  The reflections on gender and sexuality in products and communication processes in their historical, political, ethical, aesthetic, cultural, subjective, identity, trans-identity, post-identity, intersectional, social mobilization, violence, among others; Literary, audiovisual narratives and media performances that break or intend gender and sexuality issues; Investigations on processes of visibilization and invisibilization of bodies, identities and sexualities, in interface with ethnic-racial, generational and class markers, as well as modes of resistance to them; The vulnerabilities and precariousness, from the social markers of difference and hierarchization among people, in view of gender and sexuality issues; The disputes around the representations, and the possible and interdicted modes of representation, of the LGBTQIA+ community, of femininities, transfemininities, masculinities and transmasculinities.

Editors:

Clarissa Raquel Motter Dala Senta - Professional Masters Innovation in Communication/Creative Economy - Catholic University of Brasília.

Fernanda Capibaribe Leite - Graduate Program in Communication - Federal University of Pernambuco/Coordination WG Communication, Gender and Sexuality.

Felipe Viero Kolinski Machado Mendonça - Graduate Communications Program, Federal University of Ouro Preto/ Communication, Gender and Sexuality Coordination.

Leandro Bessa de Oliveira - Professional Masters in Innovation in Communication/Creative Economy - Catholic University of Brasília.

SCHEDULE

Expected publication date: August 31, 2023

Submission Start Date: June 21, 2022

Submission Deadline: December 21, 2022

 

LLAMADA DE TRABAJOS - REVISTA ESFERAS

DOSSIER:  COMUNICACIÓN, GÉNEROS Y SEXUALIDADES

El crecimiento de los estudios feministas en Brasil permitió el establecimiento de un campo analítico, epistemológico y político radicalmente nuevo y amplio para los estudios comunicacionales. Agrupados bajo el compromiso de ofrecer un cuestionamiento efectivo a los modos de producción de la desigualdad y sus formas de normalización de cuerpos, identidades y sexualidades, los estudios de género ofrecen condiciones empíricas y epistémicas para, en el contexto de la investigación en comunicación, participar desde la percepción desde la fenómenos a la proposición teórica y metodológica. Desde la década de 1970, la investigación en comunicación, guiada por una perspectiva de género, ha ganado madurez. La ampliación del campo de intereses permitió un rico movimiento hacia los estudios de las sexualidades y los estudios queer que, en una perspectiva interdisciplinar, han ido sumando proposiciones relevantes a los estudios de los procesos comunicacionales delimitados por cuestiones de género, cada vez más atravesados ​​también por otras vías identitarias. como raza, clase, territorialidad, etc. Tanto es así que actualmente hemos observado impactos significativos en la forma de pensar los fenómenos comunicacionales vinculados a las geografías feministas y queer en una perspectiva interseccional. Tales impactos pueden percibirse en diferentes contextos, tales como: a) a partir del crecimiento en el número de disciplinas implementadas en los currículos de las carreras de grado y posgrado del área, abordando tales contenidos de forma central o tangencial; b) el desarrollo de proyectos y grupos de investigación y extensión coordinados por investigadores del área que se organizan en torno al género y las sexualidades en su interfaz con la Comunicación, lo que refleja un aumento significativo de las investigaciones en torno a estos temas, en trabajos de conclusión de cursos, en disertaciones de maestría y en tesis doctorales; c) proponiendo e implementando grupos de trabajo en congresos y encuentros del área de la comunicación y d) proponiendo dossieres específicos, en diversas revistas del área de la Comunicación, que evidencien la pluralidad y diversidad de investigaciones que, desde nuestro lugar, lanzar miradas sobre géneros y sexualidades. Es en este contexto que establecimos una alianza entre la Revista Esferas (Revista Interprogramas de Posgrados en Comunicación del Medio Oeste, que agrupa los Programas de Posgrados en Comunicación de la UCB, UnB, UFG, UFMS y UFMT) y la Comunicación, Géneros y GT de Sexualidades de la Asociación Nacional de Posgrados en Comunicación, con esta convocatoria.

Invitamos a autores y autoras, interesadas e interesadas, a presentar sus investigaciones que aborden: La aprehensión de los estudios sobre géneros y sexualidades en diálogo con el pensamiento comunicacional, destacando los tránsitos, tensiones y aportes; Los aspectos epistemológicos, teórico-conceptuales y metodológicos; Reflexiones sobre género y sexualidades en productos y procesos de comunicación en sus dimensiones histórica, política, ética, estética, cultural, subjetiva, identitaria, transidentitaria, posidentitaria, interseccional, movilización social, violencia, entre otras; Narrativas literarias, audiovisuales y performances mediáticas que rompan o pretendan cuestiones de género y sexualidad; Investigaciones sobre los procesos de visibilización e invisibilidad de los cuerpos, identidades y sexualidades, en interfaz con los marcadores étnico-raciales, generacionales y de clase, así como los modos de resistencia a ellos; Vulnerabilidades y precariedades, a partir de marcadores sociales de diferencia y jerarquía entre las personas, frente a cuestiones de género y sexualidad; Las disputas en torno a las representaciones, y modos de representación posibles y prohibidos, de la comunidad LGBTQIA+, feminidades, transfeminidades, masculinidades y transmasculinidades.

Editores:

Clarissa Raquel Motter Dala Senta – Mestrado Profissional Inovação em Comunicação/Economia Criativa – Universidade Católica de Brasília. 

Fernanda Capibaribe Leite – Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco/Coordenação GT Comunicação, Gêneros e Sexualidades.

Felipe Viero Kolinski Machado Mendonça – Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Ouro Preto/ Coordenação GT Comunicação, Gêneros e Sexualidades.

Leandro Bessa de Oliveira - Mestrado Profissional Inovação em Comunicação/Economia Criativa – Universidade Católica de Brasília. 

Fechas importantes:

Fecha prevista de publicación: 31 de agosto de 2023

Fecha de envío inicial: 21 de junio de 2022

Fecha límite de presentación: 21 de diciembre de 2022